jac-leirner-jl-installation2-2360x1328-acf-cropped

Jac Leirner

São Paulo, Brasil, 1961


Download

CV

Bibliografia


Com seu complexo vocabulário conceitual, Jac Leirner emprega como método o colecionismo e a acumulação de objetos; espécies de mementos ou souvenirs que a artista recolhe ou extrai de seus contextos originais. Preferindo a coleção ao objeto unitário, o trabalho de Jac Leirner organiza bitucas de cigarro, utensílios e ferramentas, cédulas de dinheiro, réguas, cinzeiros de avião de acordo com um princípio serial ou modular. Não basta apenas reunir ou organizar os muitos objetos, mas compor com eles, finalmente, um arranjo plástico, em que as estratégias de Leirner assentam sobre uma forma escultural. Essas formas remetem sempre a sistemas ulteriores – arte-históricos, museológicos, industriais, de consumo – de modo que a organização estrutural associa-se sempre a conotações sociais de troca e circulação.


Entre suas exposições individuais recentes estão Jac Leirner, Swiss Institute, New York, USA (2023), O Meu Trabalho, Fortes D’Aloia & Gabriel, São Paulo, Brasil (2022) Us Horizon, Esther Schipper, Berlin, Alemanha (2022); Wolfgang Hahn Prize, Ludwig Museum, Colônia, Alemanha (2019); Institutional Ghost, IMMA – Irish Museum of Modern Art, Dublin, Irlanda (2017); Add It Up, The Fruitmarket Gallery, Edimburgo, Escócia (2016); Junkie, White Cube, Londres, UK (2016) e Jac Leirner: Borders are drawn by hand, Museum of Contemporary Arts of Shanghai, Xangai, China (2016). Leirner participou também das coletivas Diagonais, Fortes D’Aloia & Gabriel, São Paulo, Brasil (2023); Noor Riyadh Festival, Riyadh, Arábia Saudita (2022); A máquina do mundo: Arte e indústria no Brasil 1901 – 2021, Pinacoteca do Estado de São Paulo, São Paulo, Brasil (2021)Momentum, Voorlinden Museum, Wassenaar, Holanda (2020); World/Matter: Latin American Art and Language at the Blanton, Blanton Museum of Art, Austin, USA (2019); Memory Palace, White Cube, Londres, UK (2018).


A artista tem trabalhos em muitas coleções importantes, tais como Allen Memorial Art Museum – Oberlin College, Oberlin, USA; Art Gallery of Ontario, Ontario, Canadá; Blanton Museum of Art, University of Texas at Austin, Austin, Estados Unidos; Caixa Geral de Depósitos, Culturgest, Lisboa, Portugal; Carnegie Museum of Art, Pittsburgh, Estados Unidos; Centro Galego de Arte Contemporaneo, Santiago de Compostela, Espanho; Coleção Cisneros, Caracas, Venezuela; Colorado University Art Museum, Boulder, Estados Unidos; Hirshhorn Museum and Sculputure Garden, Washington DC, Estados Unidos Instituto Itaú Cultural, São Paulo, Brasil; MOCA | The Museum of Contemporary Art, Los Angeles, Estados Unidos; MoMA – The Museum of Modern Art, Nova York, Estados Unidos; Museu de Arte da Pampulha, Belo Horizonte, Brasil; Museo Nacional Centro de Arte Reina Sofía, Madrid, Espanha; Museo Tamayo, Mexico City, Mexico; MAM – Museu de Arte Moderna de São Paulo, São Paulo, Brasil; Museum van Hedendaagse Kunst, Ghent, Bélgica; Phoenix Art Museum, Phoenix, Estados Unidos; Pinacoteca do Estado de São Paulo, São Paulo, Brasil; SF MoMA, San Francisco, Estados Unidos; Solomon R. Guggenheim Museum, Nova York, USA; Städtische Galerie Villa Zanders, Bergisch Gladbach, Alemanha; Tate Modern, Londres, Reino Unido; The Bohen Foundation, Nova York, Estados Unidos; University of Essex Collection of Latin American Art, Essex, Reino Unido e Walker Art Center, Minneapolis, Estados Unidos.