Planos de expansão

23 nov 2013 – 24 jan 2014


Galeria Fortes Vilaça


Download

Press Release

Armando Andrade Tudela | Cerith Wyn Evans | Franz Ackermann | Gabriel Lima | Iran do Espírito Santo | Julião Sarmento | Los Carpinteros | Luiz Zerbini | Marine Hugonnier | Mauro Restiffe | Rodrigo Cass | Rodrigo Matheus | Sarah Morris

Temos o prazer de apresentar Planos de expansão, exposição coletiva com 13 artistas do time da galeria. A mostra se estrutura em dois eixos principais que ora se confrontam e ora se mesclam. De um lado, arquitetura e urbanidade; de outro, abstração e  geometria.

As obras de Franz Ackermann, Luiz Zerbini e Sarah Morris desconstroem elementos da arquitetura. Na pintura Torrada, de Zerbini, volumes são sobrepostos num jogo de encaixes que forma um grande ponto de fuga. A superfície da tela é ativada por lacunas brancas que emprestam à imagem uma natureza virtual. Na tela de Ackermann podem-se ver detalhes de prédios fragmentados em uma composição acêntrica e acelerada. Em Praça da Apoteose, de Morris, o título revela a referência a Niemeyer, que de outra forma seria discreta e abstrata. A relação entre abstração e história está no centro da produção da artista e fica evidente na colagem Black Tie, onde as mesmas formas de Niemeyer se sobrepõem ao pôster americano do filme Eles não usam Black-tie, de Leon Hirszman.

Armando Andrade Tudela apresenta uma escultura que sugere uma construção rígida onde materiais de natureza coorporativa, como acrílico, se misturam à juta. Esta obra, assim como o vídeo de Rodrigo Cass, faz referência ao neoconcretismo brasileiro e aos pavilhões de Hélio Oiticica, construídos através de planos de cor. Em Leste, Gabriel Lima transita entre abstração e significação, nos obrigando a tomar um ponto de vista.  A obra traz uma bandeira branca  esticada sobre um plano de madeira, também branco.

Os trabalhos Forma, de Rodrigo Matheus, e Les Actualités, de Marine Hugonnier, traçam um diálogo explícito entre urbe e abstração. Marine contrapõe uma foto do World Trade Center a uma escultura abstrata, enquanto Matheus reforça a abstração geométrica das logomarcas de construtoras onipresentes na cidade.

A cidade como cenário, tema, ponto de partida, plano em expansão é o fio condutor da mostra que traz trabalhos de Armando Andrade Tudela, Cerith Wyn Evans, Franz Ackermann, Gabriel Lima, Iran do Espírito Santo, Julião Sarmento, Los Carpinteros, Luiz Zerbini, Marine Hugonnier, Mauro Restiffe, Rodrigo Cass, Rodrigo Matheus e Sarah Morris.

Imagens