Simon Evans™

Failing At Living Alone

8 jun – 17 jul 2010


Galeria Fortes Vilaça

A Galeria Fortes Vilaça tem o prazer de apresentar pela primeira vez em exposição individual no Brasil, o artista inglês Simon Evans. O artista mostra quinze trabalhos feitos de papel. O gesto obsessivo de sobreposição de pequenos fragmentos de textos, palavras, cores e imagens recortadas é o traço fundamental de sua obra.

O artista trabalha com listas, classificações , organogramas, taxonomias fictícias num permanente exercício de mapeamento da psique, de sentimentos diários e banais ou mesmo de situações limite. Para dar conta da complexidade humana, Evans sobrepõe humor, cinismo, franqueza, dor numa estratégia que segundo o artista, aproxima-se de um processo psicanalítico.

Entre os trabalhos que tratam de classificações, Daddy Issues traz dezenas de cabeças masculinas recortadas de livros e revistas lado a lado como num grande diagrama informativo. Cada figura é associada a uma frase de efeito moral, um adjetivo sarcástico, ou expressões aparentemente sem sentido que parecem guardar referências pessoais.  Essa investigação de tipos – mais ou menos conhecidos – acaba por criar uma série de novos arquétipos que aspiram a universalidade. Em People I know e Life Garage Sale pessoas e objetos são categorizados dentro dessa mesma lógica.

Survival é um mapeamento na forma de um organograma dos dilemas que todos enfrentamos para sobreviver. Categorias como abrigo, dinheiro, “fome de transcendência” e “navegar por sistemas existentes”  aparecem delimitadas por campos de diferentes cores e conectadas por linhas, numa hierarquia criada pelo próprio artista. Todas as categorias levam ao campo central do desenho que contem a palavra survival.  Já em Relationship Picture, diferentes aspectos de um relacionamento se organizam num gráfico de pizza multicolorido.

Num gesto irônico de inversão o artista faz referência ao episódio recente do resgate de cidadãos após o grande terremoto do Haiti. Usando um desenho esquemático do navio Queen Mary 2 – um navio turístico de luxo – no lugar do navio de resgate que dá título a obra, U.S.S Comfort.  Evans identifica as diferentes áreas de entretenimento e serviços do navio associando-as livremente a traços da sociedade contemporânea. Desta forma, o artista mistura o público com o particular, o pessoal com o universal, numa tentativa permanente de estabelecer ordem no caos.

No Brasil, o artista já participou da 27a Bienal Internacional de São Paulo em 2007 com curadoria de Lisette Lagnado e do 31o Panorama de Arte Brasileira em 2009, com curadoria de Adriano Pedrosa. Suas exposições recentes incluem Tate Modern, Londres, Reino Unido; MOMA, São Francisco, EUA; Louisiana Museum of Modern Art, Dinamarca; Mori Art Museum, Toquio, Japão; Pasadena Museum of California Art, EUA; Frankfurter Kunstverein, Alemanha.

 

Imagens