Ernesto Neto

Mitodengo

12 Dez 2009 – 12 Fev 2010


Galpão Fortes Vilaça

A Fortes Vilaça tem o prazer de apresentar sua última exposição do ano: Mitodengo, de Ernesto Neto, no Galpão. A mostra traz uma única escultura de proporções monumentais – cinco metros de comprimento e quase cinco de altura – composta por onze grandes peças de aço de 1,5 m de diâmetro e quatrocentos quilos cada. Pela primeira vez, Neto utiliza o metal na criação de uma obra de grande escala.
O artista começou a trabalhar com materiais sólidos em meados de 2006. Durante uma residência de seis meses realizada no Atelier Calder em Saché na França, Neto experimentou possibilidades escultóricas a partir de cortes a laser sobre uma diversa gama de materiais duros. O processo de criação começa com o desenho das peças feitos em grafite, posteriormente a imagem é digitalizada e enviada a empresas especializadas em cortes de aço. 
Em Mitodengo, cada peça de aço apresenta um desenho individual e orgânico, e se encaixam  como se fossem módulos, partes de um quebra cabeça. Com recortes de formas simples que remetem a brinquedos infantis dos anos 1970, as pesadas peças se acomodam sem cola ou qualquer outro material que as grude, sendo delicadamente encaixadas com a ajuda de um guindaste. A obra é puro equilíbrio e diálogo com a gravidade – características essenciais no trabalho do artista, em que a relação tensorial das partes sob a força da gravidade, mantém o objeto em sua forma estável. “Mitodengo é uma escultura linha, um desenho no espaço, uma linha de pontos que se encontram se encaixam, se beijam numa dança continua de contornos macho – fêmea”, aponta Neto. 
O artista surpreende mais uma vez ao utilizar um material rígido para formar uma escultura de movimento leve, sinuoso e sensual, tal qual suas obras moles, feitas de tecido. Mitodengo contrapõe sua delicada forma à rudeza e dureza do aço. Para o artista, a obra “pensa a possibilidade de poesia e doçura mesmo num mundo duro como aço. O Dengo é uma maneira de olhar, de cuidar e de abraçar sem tocar, os Mitos são como micro mitos cotidianos, que aparecem e somem como uma linha de um desenho”.

Neto é um dos principais nomes da escultura contemporânea. Em maio deste ano, criou sua maior e mais ambiciosa obra; medindo 21 x 37 x 58 m, Anthropodino ocupou todo o espaço do Drill Hall, The Armory, em Nova York. Em 2006, Neto mostrou a impressionante obra Leviathan Thot, que ocupava todo o interior do Pantheon de Paris. O artista ainda participou de duas Bienais de Veneza e teve uma individual em 2008 no MACRO, MACRO – Museu d'Arte Contemporanea di Roma. Em 2010, terá uma individual na Hayward Gallery, Londres e no MAM – Museu de Arte Moderna de São Paulo.
 

Imagens