-Cristiano Lenhardt - Galpão_IRI_01-

Cristiano Lenhardt

ÍRÌ

19 Out – 20 Dez 2019


Abertura

19 Out, 17h–20h


Galpão

Rua James Holland 71
São Paulo

Como chegar


Download

Press release (PT)

Press release (EN)

A Fortes D’Aloia & Gabriel tem o prazer de apresentar ÍRÌ, nova exposição de Cristiano Lenhardt no Galpão. O artista exibe um conjunto de obras inéditas que reforçam seu interesse pelo jornal como matéria-prima para pinturas e esculturas. O título da exposição – espécie de sigla ou código – sublinha a dimensão de transcendência do plano de observação em jogo nestes trabalhos, assim como o interesse do artista pela iridescência enquanto fenômeno ótico.

Em suas pinturas sobre jornais, Lenhardt utiliza tinta acrílica branca e preta para cobrir a superfície de exemplares antigos, deixando apenas que as áreas coloridas do papel sejam reveladas através de formas geométricas randômicas. Através de um processo de transmutação da informação em abstração, o artista cria um rico vocabulário visual que abarca referências díspares que vão das pinturas rupestres a linguagem contemporânea da internet.

Em Escultura Íris, longas varas de madeira encontram-se sob uma estrutura cônica feita de cobre, erguendo-se na entrada do espaço como um catalisador de energia e luz. Já em Astro, na parede ao fundo, um círculo de jornal e tinta prateada joga com reflexo e opacidade, criando um “espelho cego” que lembra a superfície da lua.

Emoldurando o conjunto, sua Escultura Arco consiste em uma grande linha curva de jornal retorcido suspensa por duas bases de concreto, reforçando a ideia de um “portal” sugerida pela grafia do título da mostra. Aqui, o artista investiga as possibilidades escultóricas do material em um desdobramento de Atoritoleituralogosh, trabalho realizado em abril deste ano em parceria com a performer Ayla de Oliveira e adquirido pela Pinacoteca do Estado de São Paulo após vencer o prêmio de doação da feira SP-Arte.

Repousando no chão, Filtra-Cor é composta por um trio de televisores cujas telas são cobertas por chapas metálicas cravadas de furos. Estas pequenas perfurações filtram as imagens exibidas, permitindo que vejamos apenas pontos cromáticos e seus reflexos movendo-se freneticamente na superfície da obra. Lenhardt nos convida, assim, a enxergar para além da bidimensionalidade, instaurando novos campos semânticos para imagens veiculadas de maneira incessante e saturada pelos meios de comunicação de massa.

Cristiano Lenhardt (Itaara, RS, 1975), vive e trabalha no Recife (PE). Atualmente participa do 36º Panorama da Arte Brasileira, com curadoria de Júlia Rebouças, no Museu de Arte Moderna de São Paulo. Em seu currículo, destacam-se participações em exposições como a 32ª Bienal de São Paulo (São Paulo, 2016); 19º Festival de Arte Contemporânea Sesc_Videobrasil: Panoramas do Sul (São Paulo, 2015); Cruzamentos: Contemporary Art in Brazil, Wexner Center for the Arts (Ohio, 2014); Programa Rumos Itaú Cultural (São Paulo, 2012); Mythologies, Cité Internationale des Arts (Paris, 2011); Intimate Bureaucracies, University of Essex (Colchester, 2011); Constructing Views, New Museum (Nova York, 2010). Sua obra está presente em importantes coleções como o MAM Rio (Rio de Janeiro) e a Pinacoteca do Estado de São Paulo (São Paulo).

Imagens

Vistas da exposição
Obras

Vistas da exposição

Obras