Vik Muniz

Verso

29 Jul – 11 Set 2010


Galeria Fortes Vilaça

A Galeria Fortes Vilaça tem o prazer de apresentar Verso de Vik Muniz.   A exposição reúne sete objetos tridimensionais de diversos tamanhos feitos de madeira e mídias variadas, que reproduzem fielmente o verso de obras célebres como Les Mademoiselles d’Avignon de Picasso e La Grande Jatte de Seurat que durante o período de seis anos o artista fotografou e estudou em parceria com a equipe curatorial e de conservação de instituições como o MOMA, Guggenheim e o Art Institute of Chicago e um time especializado de artesãos, artistas e especialistas em cópias de pinturas.

Sempre que um crítico, apreciador quer certificar-se da autenticidade de uma obra, o primeiro gesto que faz é virar a tela e analisar o seu verso.  A tela permanece intocável ao passar dos anos, enquanto o seu verso está em constante modificação, conta sua história, coloca a mostra suas cicatrizes. Visitantes de museus e galerias não possuem a chance de observar as etiquetas do verso de uma obra e imaginar os lugares e situações as quais a peça transitou. 

Ao entrar na sala, tem-se a impressão de que entramos numa exposição ainda em montagem, os quadros estão no chão, encostados na parede. Um olhar mais atento revela então os autores e os títulos das obras, e traz a certeza de que aquelas obras não poderiam estar ali já que pertencem a coleções de museus importantes do Brasil e do mundo. Saber o que a obra representa em sua outra face torna-se apenas um pressuposto, não necessário. A série Verso faz o espectador poder imaginar a obra ao ler as suas etiquetas somente. O detalhamento cuidadoso presente nas obras engana os olhos do espectador como num trompe l´oeil e é resultado do trabalho de uma vasta equipe de profissionais dirigidos pelo artista. Após fotografar as obras nos distintos museus, cada especialista foi responsável pela execução de um detalhe específico: molduras, arranhões, manchas, etiquetas e etc., tudo produzido à perfeição.

Durante os últimos 20 anos Vik recria imagens icônicas e utiliza-se de técnicas que relatam o processo de criação da obra de arte. Ao observar a história de algumas destas imagens expostas e revelar o lado desconhecido delas, a série Verso leva o artista de volta a criação de objetos, técnica com a qual ficou conhecido ainda na década de 80.

Para a exposição de São Paulo, Vik Muniz trabalhou junto à Pinacoteca do Estado de São Paulo, O MAM do Rio de Janeiro e o MASP para reproduzir o verso das pinturas A Estudante, de Anita Malfatti; O Abaporu, de Tarsila do Amaral; São Paulo, 1924, de Tarsila do Amaral e Samba, de di Cavalcanti respectivamente.

No andar de cima da galeria Vik apresenta versos de fotos célebres publicadas no The New York Times e que integram a coleção do MoMA. Os versos estão cheios de datas apagadas, manchetes de jornais amarelados, manchas de cola de contato que fazem o espectador sentir um pouco da história dessas imagens nas redações  e além delas.

O trabalho de Vik Muniz encontra-se em coleções em todo o mundo, entre eles no Museum of Modern Art, New York; Metropolitan Museum of Art, New York; Whitney Museum of American Art, New York; The Art Institute of Chicago; Los Angeles County Museum of Art; San Francisco Museum of Modern Art; Museu de Arte Moderna, Rio; Museum of Contemporary Art, Tokyo; Daros Foundation, Zurich; e na Tate, Londres.

O catálogo de Verso, com textos de Vik Muniz, Luc Sante e Eva Respini e cheio de detalhes sobre a confecção de cada obra estará disponível para consulta e compra na galeria.

 

Imagens