Armando Andrade Tudela

Três metades

30 Ago – 18 Out 2014


Abertura

30 Ago, 14h–17h


Galeria Fortes Vilaça


Download

Press Release

Temos o prazer de apresentar Três metades, a segunda exposição do artista peruano Armando Andrade Tudela na Galeria Fortes Vilaça.  A mostra é composta por três séries de trabalhos que exploram noções em torno da arquitetura e do nomadismo.

A pesquisa de Tudela volta-se com frequência para o modo como aspectos culturais de origens e tempos distintos se colidem em objetos de natureza híbrida.  Em Metades XXL, grandes pedaços de tecido (tela e cetim) impresso são recortados e costurados em formas descontruídas semelhantes a kushmas ou túnicas aumentadas, evocando ainda uma espécie de abrigo precário. A impressão no lado externo dos tecidos apresenta padrões criados através da fricção de pedaços de gesso sobre papel. O lado interno, porém, apresenta uma tipografia desenvolvida a partir de imagens de corpos. As palavras que se formam aí foram tiradas do glossário de termos amazônicos presente no livro Las Tres Mitades de Ino Moxo y otros Brujos de la Amazonía, escrito em 1981 pelo poeta peruano César Calvo.

Em Rama, galhos encontrados nas ruas são fundidos em bronze e montados diretamente no chão com uma sacola plástica em sua extremidade.  O conteúdo das sacolas revela objetos coletados pelo artista como manuais de celular, maçanetas, conchas etc. As esculturas sugerem pequenos instantâneos do nomadismo contemporâneo, ao mesmo tempo em que denotam resquícios de algo passageiro ou de alguém em movimento.

Nos transferimos é um grupo de esculturas de gesso, cobre e plástico que faz alusão ao nome do serviço online de envio de arquivos digitais, WeTransfer. O artista derrama gesso ainda úmido em caixas que armazenam trabalhos antigos, de modo que o gesso absorve elementos da embalagem – papelão, espuma, fita – enquanto toma a forma dos trabalhos prévios, em um processo de sedimentação e transferência.

Armando Andrade Tudela nasceu em 1975 em Lima, Peru, e atualmente vive em Lyon, França. O artista já participou de diversas exposições importantes, dentre as quais destacam-se: Une histoire, art, architecture et design, des années 80 à aujourd’hui, Centre Pompidou, França (2014); Bienal de Cuenca, Equador (2014); Under the Same Sun: Art from Latin America Today, Solomon R. Guggenheim Museum, Nova York, EUA (2014); Panorama da Arte Brasileira, MAM, São Paulo (2009); Bienal de Lyon, França (2007); Bienal de São Paulo (2006); Bienal de Xangai, China (2006); Trienal de Torino, Itália (2005). Dentre suas exposições individuais, destacam-se: Liquidación, no Museo de Arte de Lima, no Peru (2012); e Ahir, demà, no Museu d’ Art Contemporani de Barcelona, Espanha (2010). Sua obra está presente em diversas coleções públicas, como: MoMA, EUA; Museu d’Art Contemporani de Barcelona, Espanha; Museum fur Moderne Kunst, Alemanha; Solomon R. Guggenheim Museum, EUA; Tate, Reino Unido.

Imagens