OSGEMEOS

O peixe que comia estrelas cadentes

28 Jul – 16 Set 2006


Galeria Fortes Vilaça

A Galeria Fortes Vilaça tem o prazer de apresentar ao público brasileiro a primeira mostra individual da dupla paulistana osgemeos no país, depois de sete anos de reconhecimento internacional. Além da mudança radical na paisagem urbana da Vila Madalena com a pintura que fizeram na fachada da galeria, transformando-a em uma enorme cabeça, a exposição é composta de uma pintura mural também no espaço interno, uma grande instalação e uma série inédita de pinturas-objeto.

A visão transformadora que osgemeos têm do mundo perpassa todas as obras, que têm em comum as referências à cultura popular brasileira, ao contexto urbano e ao universo onírico criado por eles. No andar térreo, a pintura que recobre as paredes do chão ao teto segue a tradição do muralismo latino-americano, explorando a narratividade, a figuração arquetípica e a paisagem imaginária. Já a instalação, de escala monumental, contém uma escultura mecânica, som e elementos interativos.

Os personagens de rosto amarelo vivo, marca registrada da dupla, que parecem fazer parte de uma multidão anônima nas intervenções e pinturas dos artistas, sob um olhar mais atento, são – na verdade – personagens cuidadosamente diferenciados por meio de roupas e adereços que os individualizam. osgemeos são desenhistas virtuosos e conseguem forjar uma riqueza de padronagens e cores pouco vista na arte contemporânea. Segundo os artistas, cada detalhe conta um pouco da vivência deles nas ruas da cidade e em seu "mundo paralelo" e também da história da família. O irmão Arnaldo Pandolfo inclusive colaborou na construção da instalação.

A cabeça amarela pintada na fachada da galeria sugere que o visitante vai percorrer o universo fantástico que habita a mente dos artistas. Entre as pinturas, O banho do pavão é a que melhor exprime esse mundo onírico e marcado por hibridações culturais: urbano, regional, pintura e assemblage convivem na obra. Com ênfase no fazer artístico, a mostra revela um lado menos conhecido da produção d'osgemeos, que estrearam no circuito de arte contemporânea em 2005, no Deitch Project (NY).

Imagens