Michael Sailstorfer

Knoten Wie Wolken | Nós Como Nuvens

27 Fev – 10 Abr 2010


Galpão Fortes Vilaça

A Fortes Vilaça inaugura sua programação de 2010 com a primeira exposição individual do alemão Michael Sailstorfer no Brasil. Em Knoten Wie Wolken, Nós Como Nuvens, o jovem artista apresenta uma grande instalação feita com dezenas de câmaras de ar, uma série de esculturas de alumínio em forma de nós e um filme em 16 mm.

Em Nós como nuvens, Sailstorfer utiliza-se de dezenas de grandes câmaras de ar de borracha preta, entrelaçadas em nós de duas e três camadas e suspensas como “nuvens negras”.  Neste trabalho, desenvolvido especialmente para o espaço do Galpão, Sailstorfer retoma o uso de materiais industriais característico de sua obra. Mas se na vida cotidiana estes pneus estariam em movimento constante e em permanente desgaste, aqui eles ganham o ar, ficam em estado de permanente suspensão.

A oposição entre movimento e inércia também permeia o grupo de esculturas presentes na exposição. Nestes trabalhos, o artista toma como ponto de partida diferentes nós feitos com cordas grossas. Utilizando-se de moldes, ele substitui o material que dá origem às formas ¬ das cordas, pelo alumínio fundido. O nó, maleável em sua essência, ganha rigidez na escultura. São nós que não podem mais se desfazer, formas escultóricas fechadas, que encerram uma idéia.

O filme mostra um galpão cujas paredes estão em permanente estado de expansão e retração, como se víssemos um prédio inteiro respirando. Sailstorfer filmou a explosão deste galpão em alta velocidade, um recurso que resulta num efeito câmera lenta quando vemos o filme projetado em velocidade normal. Em seguida, ele removeu as partes do filme em que veríamos o prédio explodir e editou os movimentos de expansão e retração numa sequência de repetições. Se a simplicidade das formas arquitetônicas revela um pensamento escultórico por trás da câmera, as relações temporais de movimento e suspensão estabelecem também um diálogo frutífero com os outras obras em exposição.

Em 2009, Michael Sailstorfer teve uma exposição individual no PS1 MOMA, New York. Participou de inúmeras coletivas internacionais importantes como New York The Quick and the Dead, no Walker Art Center, Minneapolis, em 2009; Made in Germany, Kestnergesellschaft, Kunstverein, Sprengel Museum, Hannover, em 2007; Still Life: Art, Ecology and the Politics of change, Sharjah Biennial; Bienal de Moscow em 2007; Trienal de Yokohama, em 2005, e Bienal de Liverpool em 2004. No Brasil, Sailstorfer participou da coletiva inaugural do Galpão Fortes Vilaça, a mostra God is Design, em 2007.

 

Imagens