Tiago Carneiro da Cunha

Templo do Homem

19 Ago – 16 Set 2004


Galeria Fortes Vilaça

A Galeria Fortes Vilaça tem o prazer de apresentar a exposição Templo do Homem, do artista paulistano Tiago Carneiro da Cunha. Em sua segunda exposição na Fortes Vilaça, Tiago apresenta um grupo de esculturas que tratam com inteligência e humor de temas como o exotismo, o desejo e o próprio colecionismo. As esculturas em resina de poliéster são variações 'lapidadas' de ícones da escultura – tanto a clássica como a popular – como a esfinge, o crânio, o Buda, o totem e até o mexicano dormindo.

O artista se utiliza de um procedimento clássico da escultura na manufatura das obras, cujas matrizes são esculpidas originalmente em blocos de gesso a partir dos quais são produzidas versões em resinas de diferentes cores e texturas. A superfície facetada das obras remete tanto à lapidação de pedras preciosas – estabelecendo uma relação crítica entre o objeto de arte e objetos de desejo e consumo -, como também a experiências geometrizantes passadas, desde o cubismo até o neoconstrutivismo.

As esculturas em resina são apresentadas em duas versões diferentes: cada uma de uma cor e textura, sugerindo leituras variadas do mesmo objeto. Assim, a relação com as pedras preciosas fica mais evidente quando é usada resina transparente, enquanto resinas opacas (foscas ou brilhosas) são usadas para remeter a outros materiais, como o jade, o cimento e o próprio plástico. O artista propõe uma releitura da esfinge egípcia – com suas associações ao esoterismo e ao mistério – na escultura Esfinge na qual dois macacos aparecem em posição de cópula. O trabalho sugere uma união entre conceitos contrastantes como espírito e carne. Conceitos estes que também parecem se unir em esculturas como Macaco Buda, na qual um macaco medita em posição de Lótus, ao mesmo tempo em que se masturba – mente de Buda e corpo de primata se fundem num único objeto.

Tanto pelos temas escolhidos quanto por sua escala – a maioria das esculturas caberia na casa da maioria das pessoas – , estas esculturas dialogam com objetos do cotidiano como o bibelô, o souvenir de viagem ou a imagem de adoração religiosa. Latino Americano Pensante e Caveira Realista Banguela são bons exemplos desta relação. Na primeira escultura, um homem de chapéu mexicano aparece em pose de pensador e na segunda, como o título sugere, a caveira (o 'Memento Mori' clássico da História da Arte) tem seus dentes dianteiros faltando. Na galeria o grupo de esculturas é disposto como se estivesse num altar cujo centro é a escultura Funboard Negro, um prancha de surf esculpida em forma de uma grande carranca, perfeitamente simétrica. Templo do Homem, o título da exposição, é também um livro do místico/ocultista Schwaler de Lubicz, em que o autor relaciona o corpo humano à arquitetura das pirâmides. Mais uma vez, no entanto, tudo indica que não se deve entender essa referência sem uma boa dose de humor, a julgar pelo exotismo a la 'Indiana Jones' que permeia a exposição.

Imagens