Sara Ramo

Os Ajudantes

22 Set – 23 Out 2015


Abertura

22 Set, 19h–22h


Galeria Fortes Vilaça


Download

Press Release

Texto curatorial por Cesar Kiraly (PT)

Texto curatorial por Cesar Kiraly (EN)

A Galeria Fortes Vilaça tem o prazer de apresentar Os Ajudantes, a nova exposição de Sara Ramo. A artista apresenta trabalhos inéditos – incluindo vídeos, fotografias e esculturas – que operam no limiar entre realidade e ficção. As obras interrogam nosso relacionamento habitual com os objetos que nos rodeiam, lançando um olhar de estranheza para as coisas cotidianas.

Em Os Ajudantes, vídeo que dá nome à exposição, doze criaturas mascaradas perambulam por uma paisagem noturna, tocando seus instrumentos musicais. Imersos na penumbra, tornam-se visíveis apenas à luz tremulante das fogueiras, aparecendo e desaparecendo sob uma atmosfera mágica e misteriosa. Sara compõe com os personagens e seu entorno, desprovendo-os de uma narrativa – as criaturas não aparentam ir a lugar algum, apenas se movimentam. Música e escuridão os envolvem e dão unidade ao universo onírico em que habitam.

O jogo de revelar e esconder faz a ponte entre o abstrato e o concreto, e também acontece nas outras obras da mostra. Na série Matriz e a Perversão da Forma, a artista apresenta esculturas de gesso pedra concebidas a partir das máscaras d’Os Ajudantes. São seus moldes e revelam seu avesso. Cada peça traz em si a potência de uma forma concreta e significante, mas que se realiza apenas na nossa imaginação. Como no vídeo, a totalidade nunca nos é oferecida e o que vemos são fragmentos.

A escuridão é explorada ainda na sua nova série de fotografias, em que objetos ordinários são fotografados na penumbra, usando somente uma iluminação pontual. Assim como acontece com os personagens do vídeo, figura e fundo se fundem, de modo que suas formas ganham contornos difusos e quase abstratos. As fotos são inspeções da adaptação do olho às incidências variadas de luz sobre formas familiares, um estudo sobre o escuro infantil. Uma vez iluminadas as formas, a revelação será a de seus negativos.

Sara Ramo nasceu em 1975 em Madrid, Espanha, e atualmente vive e trabalha entre sua cidade natal e Belo Horizonte, Brasil. Entre suas exposições individuais, destacam-se: Desvelo y Traza, Matadero (Madrid, 2014) e Centre d’Art la Panera (Lérida, 2014); Punto Ciego, Espacio de Arte Contemporáneo (Montevidéu, 2014); Sin Heroismos, por favor, CA2M (Madrid, 2012); Penumbra, Fundação Eva Klabin (Rio de Janeiro, 2012). Suas exposições coletivas incluem participações em: Imagine Brazil, Astrup Fearnley Museet (Oslo, 2013), Musée d’art contemporain de Lyon (Lyon, 2014) e Instituto Tomie Ohtake (São Paulo, 2015); 11ª Bienal de Sharjah (2013); Bienal do Mercosul (Porto Alegre, 2013 e 2007); Panorama da Arte Brasileira (São Paulo, 2011 e 2003); 29ª Bienal de São Paulo (2010); 53ª Bienal de Veneza (2009). Sua obra está presente em diversas coleções importantes, como Inhotim (Brumadinho), MAM (Rio de Janeiro), Instituto Cultural Itaú (São Paulo), Pinacoteca do Estado (São Paulo), Fundacione Casa di Risparmio di Modena (Itália), entre outras.

Imagens