Erika Verzutti

Missionary

14 Mai – 16 Jul 2011


Galpão Fortes Vilaça

Temos o prazer de apresentar no Galpão Fortes Vilaça, a exposição Missionary de Erika Verzutti. São vinte esculturas inéditas de bronze e cimento com moldes de frutas e verduras.  Permeadas de temas eróticos, as obras exploram questões intrínsecas a escultura moderna: noções de geometria (em formas orgânicas); a ambição da verticalidade (e sua tendência a associações fálicas); a contra-forma.

Título da exposição e de uma das obras, Missionary em inglês é a palavra usada para a posição sexual “papai e mamãe”. Ao mesmo tempo que remete à ideia de afetividade, o título sugere a atenção da artista aos gestos simples para solução de questões formais. Sugere também uma provocação, um posicionamento político em defesa da prática empírica do atelier, do material contra o imaterial.

Numa série de referências a história da arte, Erika destaca as obras que classifica de “escultura de escultura” ou “escultura de pintura.” São trabalhos que contem anotações sobre obras e artistas conhecidos: Porn Star, uma nova visita a coluna infinita de Brancusi, é uma alta torre de carambolas de bronze cujo topo transborda tinta branca; Desenho é uma aranha de bronze que combina vários quiabos e um pincel  numa referência direta à aranha de Louise Bourgeois; o Beijo, também de bronze, tem um corpo geométrico moldado a mão que sustenta duas cabeças (dois moldes de legumes) que se repelem como em O Impossível de Maria Martins. Algo do  Sol Poente de Tarsila do Amaral se revela na “escultura pintura” Tarsila com Laranja.

Em Escala, abóboras e cilindros são dispostos lado a lado num jogo de comparações entre formas e tamanhos. A geometria reaparece em Brasília TV, uma escultura de bronze na forma de uma jaca gigante cujo centro é esvaziado por três cortes retos.  Pepinos é um trabalho de parede onde vários cilindros de cimento remetem a obra de Sérgio Camargo.

No conjunto dos trabalhos, o uso deliberado de marcas de dedos, tinta, pinceis aponta para a existência periférica da obra, a presença do artista no fazer de cada escultura. Verzutti consolida seu vocabulário, com algumas novas e bem vindas  adições.

Erika Verzutti nasceu e vive em São Paulo. Ainda em 2011, em setembro, a artista participa da Bienal de Lyon na França e em 2012 tem uma exposição individual programada no Museu de Arte Moderna de Salvador.

Imagens