Erika Verzutti

Esculturas

8 Jul – 8 Ago 2003


Galeria Fortes Vilaça

A Galeria Fortes Vilaça tem o prazer de apresentar Esculturas, da artista paulista Erika Verzutti. Nesta exposição, Erika toma a forma como tema, explorando noções de procedimentos artísticos tradicionais e o emprego de materiais nobres.

São cinco esculturas, ou “falsas esculturas” como brinca a artista. Os trabalhos são feitos em argila crua e depois pintados em cor de bronze, cor de gesso, etc. Ao ganhar a aparência de outros materiais, as esculturas se inserem em um vocabulário corrente no universo das belas artes e decoração, e comentam as possibilidades de cada material. Nesta série notamos a captura de formas que surgem "inspiradas" pelas características do material. No caso da argila, as peças tomam formas simples, favoráveis à exploração dos princípios elementares da escultura, a sustentação, as marcas deixadas por dedos ou ferramentas. Estes princípios da escultura são respeitados ou desafiados, verdadeiros ou inventados.

A artista contrapõe tais noções da escultura acadêmica com a familiaridade de certos objetos. Neste conjunto, a busca é por "coisas eretas", formas sólidas que se levantam. Tais formas vem a ser coisas, revelando um sentido de figuração. Uma torre de barro vem a ser um dinossauro, uma pata, um cisne, um vulcão. A escultura Bronze, por exemplo, é uma pata de elefante, que parece ser feita deste material. O peso e a cor são marcantes, assim como as marcas do trabalho da artista. Em Gesso, uma perna engessada surge de sua base, o gesso assinado com vários nomes e desenhos feitos em co-autoria com o artista Tiago Carneiro da Cunha, aludindo aqui ao modus operandi pop de colaborações artísticas.

A pintura das peças é igualmente ativa nos jogos de associações propostos pelas obras. Movimentos naturais da tinta – escorridos, pinceladas – encontram correspondências figurativas como a lava do vulcão, o pântano que “molha” o dinossauro, a textura da pele do elefante, tornando nítida a dicotomia inerente na sua feitura e intenção, o jogo de percepção e aceitação que a obra propõe como desafio ao observador.

Imagens