Leda Catunda

10 Nov – 12 Dez 2006


Galeria Fortes Vilaça

A Galeria Fortes Vilaça tem o prazer de apresentar trabalhos inéditos de Leda Catunda. Oito pinturas-objetos de grandes dimensões, produzidas em 2006, compõem a mostra e confirmam a singularidade do trabalho da artista.
As pinturas-objetos possuem formas de gotas e gomos e são feitas a partir de procedimentos próximos aos da colagem. Materiais moles, ricos em texturas e de cores intensas são sobrepostos, entrelaçados, recortados e pintados. O resultado é volumoso e estufado, extrapolando o plano da superfície pictórica.

A artista explora a materialidade de suas pinturas em busca do que denomina poética da maciez. O amolecimento das formas de suas criações decorre da soma das propriedades dos materiais que utiliza com os desenhos e estampas neles preexistentes. A apropriação destas imagens ilustrativas prontas tornou-se uma espécie de marca registrada da artista e representa o único elemento figurativo de seu trabalho.

Leda Catunda escolhe imagens não agressivas e despretensiosas de coisas comuns, como palmeiras, lagos, flores e utiliza também fotografias, de sua própria autoria, de pessoas anônimas em cenas cotidianas. O uso destas imagens comuns evidencia um lado crítico de sua produção, no qual propõe uma reflexão acerca da atual proliferação de imagens e sua conseqüente exaltação, além de resgatar e ao mesmo tempo atualizar tecnologicamente o retrato como função tradicional da arte.

Extremamente orgânicas e femininas, as pinturas-objetos de Leda Catunda são uma congregação de cores e materiais, um fértil diálogo entre pintura, escultura, desenho e mídia impressa. Leda Catunda já participou de três Bienais Internacionais de São Paulo.

Imagens